CARTÃO DE VISITAS BLOG DA DRIKKA CALCINHAS SHOW DE FOTOS DRIKKA TRAVESTI
FOTOS SENSUAIS
PÁGINA PRIVADA
SALTO ALTO
FOTOS 2016
TOP RELATOS
FOTOS 2015
VIAGEM 5
Dúvidas Leitor
Fantasias
Boneca Drikka Acomp.
Relatos Inéditos
Fotos Viagem1
Fotos Viagem2
Fotos Viagem3
Fotos Viagem4
DSTs/Sexo Seguro
Fotos Maio2013
Fotos Fetiche
Relatos Quentes 1
Relatos Quentes 2
Modelitos Balada 1
Relatos Apimentados
Galeria Fotos 1
Galeria Fotos 2
Galeria Fotos 3
Aventuras de Sabrina I
Aventuras de Sabrina II
Ensaios Passados
Para descontrair
Paradas Gay
Capas do Site 1
Capas do Site 2
Capas do Site 3
Capas do Site 4
Meu Diário/Blog Arq 1
Meu Diário/Blog Arq 2
Meu Diário/Blog Arq 3
Meu Diário/Blog Arq 4
Meu Diário/Blog Arq 5
Meu Diário/Blog Arq 6
Meu Diário/Blog Arq 7
Meu Diário/Blog Arq 8
Meu Diário/Blog Arq 9
Meu Diário/Blog Arq10
Meu Diário/Blog Arq11
Meu Diário/Blog Arq12
Meu Diário/Blog Arq13
Meu Diário/Blog Arq14
Meu Diário/Blog Arq15
Meu Diário/Blog Arq16
Meu Diário/Blog Arq17
Meu Diário/Blog Arq18
Meu Diário/Blog Arq19
Meu Diário/Blog Arq20
Meu Diário/Blog Arq21
Meu Diário/Blog Arq22
Drikka Loira
Acompanhantes de Curitiba
Especial fotos Carnaval
Drikka Noela
ESPECIAL DRIKKA 20 ANOS
PÁGINA ESPECIAL

BONECA DRIKKA 20 ANOS




Pra você conhecer um pouco da minha história como a ''Boneca Drikka'' ... travesti acompanhante em Curitiba... tudo começou a partir de maio de 1997...



Antes de mais nada vou dizer que são muitas coisas nesses 20 anos... é muita história... vou ter que escrever como capítulos... então vamos lá!


Capítulo 1 - Como surgiu Boneca Drikka


Vocês que já acompanham o que escrevo, sabem que já adotei alguns nomes femininos desde o início de minhas montarias, isso ainda no final dos anos 80... O principal nome é Sabrina (inspirado em Sabrina Salerno do grupo Sabrina)... nome que uso até hoje nas situações do dia a dia... meus amigos me chamam assim... E foi para não misturar que quando decidi virar travesti escolhi outro... era para não misturar mesmo... queria a partir da mudança um nome, só para a nova profissional... Escolhi Drikka, inspirado em Drica Morais (adorava sua personagem na novela Xica da Silva, sucesso na extinta TV Manchete em 1997)... 
Tenho anotado numa agenda antiga, o primeiro dia de trabalho como Drikka, a boneca acompanhante profissional, foi em 17 de maio de 1997... até então meu serviço de acompanhante vinha de longas tardes pulando de poltrona em poltrona dentro de um cinema pornô... e olha que foram alguns bons anos de cinemão...

Lá dentro eu comecei bem 'bichinha estilo afetada'' e aos poucos fui evoluindo... foi me tornando mais feminina... foi mais na base do hormônio (anticoncepcional feminino)... só que me sentia meio que montada...  então surgiu o grande desafio: deixar de lado aquela montada de dentro do cinema para começar um serviço digamos que mais rentável... na verdade a mudança não veio de uma hora para outra. Recebi uma proposta  para fazer um trabalho diferenciado... mas bem desafiador mesmo...
O convite surgiu de uma senhora que tinha uma agência de acompanhantes... ela me viu passar algumas vezes e numa delas me abordou... achei tudo muito simpático... e nas conversas com ela digamos que 'brilhou o olhinho' rs...  achei que estava na hora de trocar aquele atendimento promíscuo e instantâneo de homens mais simples que mal tinham dinheiro para entrar no cinema e pagavam micharias por um 'boquete', para atender homens mais exigentes que gostariam de um serviço completo e pagando bem mais por isso... De repente, 'Sabrina' a putinha do cinema, abria espaço para vir à tona a Boneca Drikka...  No começo tive dificuldades no novo trabalho... exemplo:  ficar excitada ao ser exigida como ativa, haja vista que não me era exigido no serviço anterior. Em certos momentos quase voltei correndo para o cinema, onde os homens eram broncos, rústicos mas onde eu era totalmente passiva, com raras exceções onde faziam boquetes em mim e eu até ensaiava alguma coisa como ativa, mas sem pressão alguma...
Foi complicado ficar de pau duro e muito mais atender aos que tinham um cu muito guloso, muitas vezes bem mais que o meu... Nossa, e agora... nem pauzão eu tinha (ficava passada ao atender o telefone e a primeira coisa a responder era sobre tamanho do pau)... 16 cm... Por sorte sempre tive os que gostaram...
Logo vi que o serviço seria bem diferente... agora o jeito era ser ativa...  nas dificuldades tive que improvisar e apelar para meus 'brinquedinhos'... acho que eu devia ter uns 3 ou 4 paus de borracha (dois pelo menos enormes), mas já dava pro gasto (e não descobri isso por conta própria, eu ganhei muitos conselhos da minha ''madrinha'', que me ensinou alguns macetes... para eu poder atender alguns de seus clientes e ter os meus atráves de anúncios)...
Me enganei quando pensei que os homens que me procurariam por anúncio no jornal (pois é, na época era possível colocar anúncios em jornais... e a princípio foi no jornal de maior circulação) então, achei que seriam só ativos, ledo engano, a grande maioria gostava mesmo era de um troca-troca.
Então, pensando na vantagem financeira que já se desenhava, tive que me adaptar, começar do zero e fazer algo que até então eu não gostava. Realmente eu não sentia prazer em ser ativa, ou quase, na verdade eu não sabia como fazer e agradar... e se faltava ereção, babado né?... Eu tomava anticoncepcionais para ter peitinhos e me sentir mais feminina.
Cheguei a tê-los, mas os hormônios mais faziam mal que bem... e com as muitas gozadas diárias para agradar a clientela e a mim mesma, pois eu adora me masturbar e gozar... sei que os peitos sumiram... e a partir de enão, não podia continuar tomando-os, caso quisesse ser ativa... Consultei um cirurgião plástico e resolvi colocar próteses nos seios (essa história dos peitos merecem um capítulo especial... foi complicado... qualquer hora conto).
 A partir de agosto de 1998 sei que me senti finalmente travesti... 30 anos... já meio velhinha para isso...  mas que nada, me joguei... Me senti linda, gostosa, poderosa... ( podia não ser nada disso, mas eu me senti, he he he)...
Que delícia ter peitos...   Agora, só faltava eliminar os pelos do rosto... nessa época já estava pipocando a novidade do laser pra eliminar os pelos...
  Enfim depois de muitas sessões de laser, consegui um bom êxito... já não tinha mais sombra de barba na cara e no pescoço (isso também merece um capítulo especial, rs)... bem,  ficaram apenas alguns pelos loiros ou brancos, que o laser na época não eliminava (até hoje, 2017 é complicado de tirá-los), mas isso era o de menos. Eu  tinha um bom cabelo e há tempo já os pintava de loiros... após a  turbinada nos seios e com um corpitcho magrelo, mas sexy, bunda empinadinha, comecei a trabalhar seriamente como acompanhante, tratando de atender todas as fantasias dos meus clientes, que começavam a chegar em grande quantidade para minha surpresa.
Ainda eu tinha alguma dificuldade de ereção, mas com alguns clientes em que a afinidade era maior, isso já não incomodava mais e eu estava me tornando uma boa comedora de cuzinhos... Cuzinhos e mais cuzinhos, tudo bem, valia a pena, porque eu dava muito o meu também... e o bom que estava começando a me divertir, gozar e ainda a ganhar por isso... De repente tive que encarar 'bocetinhas' também, aí eu quase morri (já escrevi um relato sobre a primeira), mas também contornei, digamos que não me tornei uma 'expert' nesse assunto, mas consegui boas notas.
Dia após dia os homens foram trazendo suas fantasias para mim... pense em como me assustei com algumas... fui dando um jeitinho... situações diferentes foram se tornando reais e eu tinha que dar conta, ou melhor, eu consegui encarar.
Homens que chegavam e queriam se 'transformar em putinhas' na minha frente, ou melhor com a minha ajuda. Isso também foi complicado, ainda mais quando eles faziam 'caras' e 'bocas' de moçoilas e exigiam serem chamadas pelos nomes femininos que eles ou melhor elas, usavam nessas situações, como por exemplo: Helena, Julia, Amanda e por aí vai... 'Oh céus', será que eu aguentaria? Eu não estava sabendo lidar direito com isso... Era isso que eu queria? Estava valendo a pena?  Mas fiz... mesmo sem emoção ou tesão algum. Na verdade eu procurava me divertir com a situação... Caso o cliente exigisse a penetração, era somente com brinquedinhos ou então que permitisse que eu chamasse 'meus amiguinhos pauzudos'... Eu sempre tive vários na minha lista de contatos para essas ocasiões. Chamar os amiguinhos pauzudos era realmente unir o útil ao agradável...
Pra todas as fantasias, malucas ou não no meu modo de pensar na ocasião, sei que estava pegando o jeito. Mas, o que eu fazia de melhor desde que comecei, foi usar o meu lado de psicóloga e conversar sobre qualquer assunto com maestria com as pessoas que saiam comigo. Foi um grande ponto a meu favor. Era uma boneca com conteúdo, assim eles diziam, me diferenciando de muitas concorrentes contemporâneas.
Depois dos anúncios em jornais, fiz estreia na internet...  caprichava nos ensaios caseiros e  meus modelitos que eram 'únicos ou bem originais'' como as famosas orelhinhas de coelha e as roupinhas de colegial, apesar de já dos trinta... eu ainda ficava bem nesses modelitos de adolescentes, rs... Os anos 2000 e 2001, foram os piores da minha vida, as provações foram terríveis, mas sobrevivi e me tornei outra pessoa depois disso (isso sim merece um capítulo especial... acho que mais que isso: um livro)... Foi aí um divisor de águas... nossa nem 5 anos de trabalho e já tive que acordar para uma realidade mais cruel... só sei que fiquei mais atenta, esperta e muito mais amorosa...  vi que a vida seguia e eu era mais forte do que tudo ou do que todas as dificuldades e pessoas que gostariam de me destruir.
Cresci como pessoa em todos os sentidos e isso passei para meu serviço de acompanhante e me tornei ainda mais atuante.
No aniversário de 5 anos de Boneca Drikka fiz uma loucura, por sorte uma 'boa loucura' para mim... coloquei silicone industrial no bumbum. Aqueles buracos nas laterais da bunda já estavam incomodando... mas o que mais incomodava era ir atrás da conversa das amigas, outras travestis... caí na tentação do silicione industrial...
Como já disse, por sorte não apareceram grandes complicações (pequenas sempre aparecem)... tive meu corpo mudado a partir de então. Do meu peso de 62 kg, em dois meses logo passei para 70... A magricelinha agora era um mulherão com uma bunda de 106 cm, cintura de 75, e peitos de 100. Virei um violão, rs... (não pensem vocês que coloquei toda a diferença em silicone. Coloquei ao todo 1,75 litros)...
A clientela aumentou ainda mais... Estava no auge dos meus 35 anos, gostosa e amada por muitos homens, independente se eles eram ativos, passivos, cds ou qualquer outra coisa. Como não poderia deixar de ser, continuei sendo invejada, mas isso é bom... Impossível crescer nesse meio sem ter inveja...
Não vislumbrei com o sucesso, continuei fazendo escola e impressionando muita gente.
Em 2003 com a ajuda de minha amiga Maitê Schneider criei um blog... acho que esse foi o meu grande diferencial, meu diário na internet pra quem quisesse ler... comecei a escrever relatos sobre minhas transas... em 2004 o blog já era sucesso no Brasil inteiro... esse mesmo blog em um ano e meio chegou à marca de 1 milhão e quinhentos mil acessos.
Com fotos bem safadinhas e relatos eróticos picantes, eu agradava homens, mulheres e até fãs gays. O blog acabou no início de 2006, quando passei a escrever outro, que também foi sucesso de audiência, chegando à marca de 800 mil acessos até julho de 2010, quando foi tirado do ar, não por mim, mas não importa o porquê!
A partir de então eu tinha meu site e o domínio 'Drikka'...(você está neste site agora)... Continuei escrevendo minha história de Boneca Drikka baseada na confiança e credibilidade... Outra coisa interessante foi colocar apelidos nos homens que saiam comigo... assim podia escrever sobre eles e só eles mesmos saberiam do que se tratava... era divertido e principalmente discreto em relação à verdadeira identidade... alguns desses homens ainda saem comigo desde os primórdios, alguns são verdadeiros talismãs... e acho que isso conquistei pelo conjunto da obra... 20 anos se passaram e aprendi a gostar do que faço... Sinto-me feliz. A sexualidade é um mistério e acho muito interessante desvendar um pouco disso nas pessoas, inclusive em mim... pois tive que aprender com isso tudo a controlar a minha compulsão sexual... Por sorte compulsão sexual foi e ainda é meu único vício...
Aprendi a lidar com as minhas fantasias e acho que com isso aprendi mais sobre fantasias dos outros.
Não sei quanto tempo ainda farei programas, afinal é preciso ter bom senso e saber a hora de parar... O tempo não para... e preciso muitas vezes saber do seu limite... saber até onde posso ir... isso sempre esteve presente nos meus pensamentos... afinal a vida de qualquer acompanhante tem seus prazeres e torturas... são muitos altos e baixos... são muitas armadilhas... o mundo da vida fácil é na realidade muito difícil... você se envolve com muitas pessoas, mas lá no fundo tem que saber que é uma vida solitária... 

Bem, meus amados leitores, fãs, clientes, amigos...  de um jeito ou de outro não pretendo abandoná-los completamente quando parar.... Esse é o meu desejo... como? ... ainda não sei... mas existem vários meios...
Por ora, fiquem a vontade para pedir... respeitando minhas possibilidades, espero poder atendê-los e realizar seus desejos... Enquanto a Boneca Drikka estiver por aqui, gostosa, safada e com a corda toda, vocês estão com suas fantasias bem cuidadas... Obrigada pelo carinho...
Assim continuo meu trabalho, que por sorte é reconhecido por muitos e isso é o que importa!
São relatos eróticos, são curiosidades e dúvidas sobre sexo que fizeram com que muita gente gostasse do meu trabalho. Recebo inúmeros e-mails me parabenizando pela meu jeito de escrever... fácil de se comunicar... Fico muito feliz pelo reconhecimento do meu pequeno trabalho... mas feito com dedicação e muitas vezes com muito suor, rs...
  Então só posso dizer, obrigada a todos pelo carinho nesses 20 anos...  e espero continuar proporcionando prazer a todos, de uma forma ou de outra, como comentei acima... e por outro detalhe:  já eu dizia desde o comecinho lá dos anos 2000:  'eu sou a especialista em prazer'... 


O que escrevi é do texto escrito originalmente em 27 de julho de 2010, que só precisou ser repaginado... pouco coisa mudou do que escrevi na data sublinhada...




FOTOS


Para começar a primeira foto que postei na internet, isso em 1999... a foto é do carnaval de 1998 em Guaratuba...

Na sequência... montagens com várias fotos que publiquei na internet de 1999 a 2015...




drikka_moto1



























20_anos_1_peq

















20_anos_1a_peq

















20_anos_1ab_oeq



















Capítulo 2 - Os clientes da Boneca Drikka


Aqui vou escrever um pouco sobre os homens que estiveram na cama da Boneca Drikka... e são muitos... homens de segunda, terça, quarta... homens safadinhos... novos e velhinhos... pelados e peludinhos... loiros, negros, amarelos... altos e baixos, outros baixinhos... gordos e magrinhos... bigodudos e carecas... cabeludos... abusados e tímidos... enfim, uma infinidade de tipos que fizeram festa comigo nesse tempo todo...
No começo de tudo, lá por volta de maio de 97 a abril de 98, tudo era mais um experimento... uns gostavam e já voltavam dias depois, outros não... naturalmente havia então quem gostava e outros que de uma forma ou outra não saíram satisfeitos... principalmente os mais passivos... assim como já escrevi no post do capítulo 1... os que gostavam de ser ativos ou então da minha gulosa... bem esses vinham todo o mês, alguns vinham semanalmente...
O mais gostoso em tudo foi colocar apelidos nos meus fofos amantes... Alguns até com nomes de artistas nacionais e internacionais... no início achei interessante, depois pensei que alguém poderia pensar que a pessoa citada poderia ter estado comigo, principalmente se tratando de artistas nacionais... procurei então um jeito diferente de citar... pois sempre fez, faz e fará parte do meu show a discrição... não à toa, são 20 anos... e muitos homens saem comigo nesse tempo todo... bom, não?
Por volta de 1994, 1995 eu ficava muito no (145-disque amizade), que era o point de encontro virtual na época... foi aí que conheci Luciano... um rapaz alto, loiro, de olhos azuis, lindo e perfeito... um verdadeiro príncipe... saímos algumas vezes, mas foi o suficiente para eu não esquecê-lo... Dei o apelido de Lu para o rapaz que mais tarde que eu conheceria e faria um relato: ''o rapaz do gemidos tímidos''... até hoje em dia eu só o conheço por Luciano... nem sei o nome dele...
Entre os artistas internacionais tive homens que lembravam muito
''Jeremy Irons, Bruce Willys, Tom Welling, Ted Danson, Kenny Rogers, Kevin Costner, Chris O'Donnel, Glenn Ford''...
Entre os apelidos que inventei, meus fofos ao ligar não esqueciam... alô, oi, aqui é...
 
Nick, Wings, Batman 1, Batman 2, Barão, Mr. W, Mister Ro, Miss Mar, Comandante, Xandy, Xandy 2, 'Andrezinho parecido com Celsinho', 'Andrezinho tudo 'pequeneninho'', Britty, Jeffy, Alice, ''Meu vizinho das bochechas rosadas'', Bondinho, Carioca Ativaço, Pau Número 2, 'Celsinho Claudio', Billy, Baixinhos Tudo de Bom ( Baixinho 1, era de Londrima, Baixinho 2, era de Porto Alegre, Baixinho 3, esse ainda sai comigo, é de Ponta Grossa), Leãozinho, Leonardo (parecido com um ator pornô), esse com o tempo ligava e dizia apenas 'Leo', rs... Tem ainda 'Ruivinho', o menino do fio dental branco, Edu (olhos bem fechados), Rodrigo (lugares apertadinhos), Al, Alê, Didi, Marcelo (boas entradas), Kleber, Dudu...

Outros já tinham seu apelido: Lulu, Super Pe, Arizinho, Pedrinho, Ativaço Tatuado, Mineirinho, Goiano, Gaúcho, Teacher Negão, Fire,  Doutor do Interior...
A maior quantidade de homens com o mesmo nome é 'Marcos'...   o segundo é ''Carlos'', depois vem Sergio... Paulo e João ... estes só mesmo com o tempo fui sabendo quem era... ajudou com algum detalhe acontecido na transa... nome da cidade ou então alguma peculiaridade no corpo, como tatuagem, bunda ou pau, etc... mas que por motivo de discrição prefiro não comentar muito a respeito, acho que vocês entendem e também me agradecem, ufa, rs...


continua...






















Página ainda em construção...
Site Map